segunda-feira, 28 de abril de 2008

She

Há 9 anos (ou no minuto em que assisti Um lugar chamado Notting Hill) decidi que um dos meus (muitos) sonhos era que alguém um dia cantasse essa música pra mim. No sonho era quase uma serenata de um alguém especial, apaixonado e coisa e tal. Na atual falta deste alguém, o Charles Aznavour hoje a noite seria uma boa opção.

sexta-feira, 25 de abril de 2008

Vem sempre aqui?

- E aí, tudo bom?
- Tudo bem.
- Bom o show, né? Pena que tá tão cheio.
- Pois é, semana passada não tava tanto.
- Como é teu nome?
- Kelen.
- Prazer, Rafael.

BLA, BLA, BLA, BLA

- Vou indo então.
- Já? Não, deixa que eu te levo.
- Não, não, tenho que ir mesmo.
- Tá, então pelo menos me dá teu telefone.
- Tá bem. Se tu lembrar do meu nome eu te dou.
- Hum... eu lembro que era diferente e bonito.
- Sei... então, tá, tchau Rafael!
- Não, volta aqui, tu não sabe como é que homem? Quando tu tá respondendo teu nome eu não tô prestando atenção porque eu já tô tentando desenvolver a próxima pergunta.


Homens...

quarta-feira, 23 de abril de 2008

31, com corpinho de 25

Dois estagiários novos, momento dispersão total e por causa de um toque de celular com "Sweet child of mine" o assunto vira shows.

(eu) - Putz, temos estagiário metaleiro. Garanto que foi no show do Iron Maiden.
(estagiário novo 1) - Pior que não, sou mais U2.
(eu) - Beleza, mais tranquilo então.
(Flávia) - Fala pra ele Kelen, fala os shows que tu já foi...
(eu) - Me deixa Flávia. Eu falo sim, grandes coisas. De Pearl Jam a Sandy & Junior, passando por Eric Clapton, Erasure, Roxette...
(estagiário novo 2) - Nossa Kelen, quantos anos tu tem???
(eu) - Muitos Cris, muitos...
(estagiário novo 2) - Te dou no máximo 25!

Espero que não seja pela mentalidade. De qualquer forma, promoção garantida para o menino.

sábado, 19 de abril de 2008

Ansiosa

do lat. anxiosu

adj. f. s.

que tem ânsias;
aflita;
impaciente;
desassossegada;
alvoroçada;
desejosa;

com inquietação de espírito;

Assim?
Eu?
Imagina...


terça-feira, 15 de abril de 2008

Querido diário!

Ainda não aprendi como fazer pra trabalhar no terceiro turno e dormir cedo. Era mais de uma da manhã quando consegui sair da frente do computador. E foi neste momento que me olhei no espelho e vi a desgraça deste tal cabelo moderno: ele não seca ao natural e era isso, boa noite. Ele quer secador. E quer escova. E não satisfeito, ele quer chapinha. Então depois de todo esse ritual mulherzinhístico que não me pertence, as duas da manhã eu consegui ir dormir.
O despertador tocou as seis, mas eu só lembrei que ele despertou para eu levantar e trabalhar neste infeliz 4° turno (ou seria turno zero?) as sete e meia. Ainda dormindo fui até o banheiro e a primeira coisa que fiz, foi tirar da tomada a chapinha que repousava sobre o vaso quase derretido. E foi neste momento que o plug travou na maldita tomada e ao resolver destravar, fez com que a minha mão esbarrasse em todas as coisas que estavam penduradas na parede. E acredite meu querido diário, não eram poucas as coisas. 15 minutos, 2 suportes de acrílico, 38 cotonetes, 8 bolas de algodão, 1 pinça e 14 tubos de cremes recolhidos depois, estava eu pronta para começar aquilo que deveria ter sido iniciado uma hora e quarenta e cinco minutos antes.

O meu cabelo é o mesmo de ontem a noite, mas o meu humor... quanta diferença.

Constatações

Existem pelo menos três coisas que uma mulher com mais de trinta anos não deveria ficar tanto tempo sem fazer. Conseguir ter oito horas de sono numa noite e usar fio dental uma vez por dia são apenas duas delas.

domingo, 13 de abril de 2008

Tell me, why?

Uma pessoa me chamou assim esses dias: "mulher das perguntas". Isso que não faço nem metade das perguntas que ficam vagando pela minha cabeça.

quinta-feira, 10 de abril de 2008

O terraço dos meus sonhos

Há muito tempo uma amiga me fala do antigo apartamento dela que está para vender. E ela sempre me descreveu ele de uma maneira tão apaixonante, que eu também me apaixonei, sem nunca ter visto uma foto sequer.
Hoje ela me mandou as fotos, já que ele segue a venda. E é exatamente do jeito que eu imaginava.
Cozinha integradadíssima com a sala, com uma bancada gigante ara cozinhar; sala que se estende até o terraço tomado por sol e com uma piscininha para os dias de calor; terraço este que faz a volta no apartamento, já que é uma cobertura horizontal, com uma vista de 360° e sem comentários. Ah, e tem a lareira, e o vinho, e o edredon, e o sonzinho tocando, enquanto ele tá ali cozinhando pra mim... OK, esses quatro últimos ficaram por conta da minha própria imaginação. Pena que enquanto eu não ganho na mega, ele seguirá a venda ou será de outra pessoa curtindo a lareira, o vinho, o edredon, o sonzinho tocando, enquanto...

quarta-feira, 9 de abril de 2008

terça-feira, 8 de abril de 2008

Falha na comunicação

"A gente se encontra lá naquele lugar que a gente almoçou no outro dia".

Pro cliente era um lugar. Pra mim era outro. Nunca acreditei em coincidências.
Algumas coisas acontecem simplesmente porque tinham que acontecer.

segunda-feira, 7 de abril de 2008

Curtas de um longo fim de semana

Show Titãs + Paralamas, com participação de Arnaldo Antunes, Andreas Kisser e o motivo que me convenceu a pagar para ver: Fito Paez. Ele só tocou duas músicas, mas o resto do show não deixou a desejar. Daqueles de cantar da primeira a última música e acordar no outro dia sem voz de tanto gritar. Aliás, cantar Bichos Escrotos em alto e bom som, libera tudo de ruim de dentro da gente.
.:.
Mercado Público, salada de frutas na banca 40 e estoque de frutas secas renovado na banca 43;
.:.
Exposição +FILE POA, no Santander Cultural. Meu lado nerd-infantil-que-ama-coisas-interativas adorou.
.:.
Feirinha de sábado do brique segue sendo a melhor coisa pra se fazer em Porto Alegre no sábado de manhã, começando pelo suco de laranja a 1 real;
.:.
Exposição no Torreão comprova porque eu abandonei a faculdade de Artes Plásticas: arte pra mim ainda é o que se fazia antigamente (com todo respeito ao artista...);
.:.
Inter x Ulbra, 3 x 2 e meu time vai pra semi-final do Gauchão. De brinde, cartão postal da cidade no fim do jogo: baita pôr do sol no Guaíba;
.:.
Do churras com meus amigos casais que (que insistiam que eu deveria ficar por ali mesmo) para a Balonê. Momentos de muito calor, falta de ar e de espaço. Mas na próxima, não vou me fantasiar de alta: quando começa a ficar bom, os pezinhos estão pedindo pra sair;
.:.
Passeio no brique e solzinho na redenção, nunca vou enjoar disso;
.:.
Já não se faz Mix bazzar como antigamente, daqueles que me davam um prejuízo a cada passo; nesse, o único preju foram os 2 pila de entrada. Mas como pôr do sol nunca é demais, a ida até lá já valeu por ver ele lá do 4º andar do Gasômetro com direito a pipas voando no céu;
.:.
E o fim de semana que deveria ter sido de trabalho vai chegando ao fim (e trabalho que é bom nada); mas resolvi seguir a risca as dicas que o Sérgio Britto cantou pra mim sexta-feira; meu epitáfio não quer ter mais arrependimentos.

"O acaso vai
me proteger
enquanto eu
andar distraído;
o acaso vai
me proteger
enquanto eu andar..."

devia ter complicado menos
trabalhado menos
ter visto o sol se pôr..."

terça-feira, 1 de abril de 2008

Alívio imediato

Sabe um sapato de salto bem alto e de bico bem fino, com uma fivelinha cretina que te machuca o tornozelo e uma pedrinha lá na ponta, que te destrói por completo? Foi como se tivesse passado dias, semanas, meses com ele. E finalmente, acabei de tirar dos meus pés.