segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

La cucaracha

Um dia eu vou gravar um videozinho e mandar pra Baygon pra eles verem quanto tempo uma barata demora pra parar de se mexer enquanto eu toco um jato do inseticida deles na fuça dela. Isso lá é ser terrível contra os insetos?

sábado, 24 de dezembro de 2011

Carta para mim

Parece que foi ontem que tu estavas aí na escada esperando a Kombi do 25 de julho chegar, né? Quanta coisa e quanta história nos separa. Se eu pudesse te dizer algumas coisas que te fizessem chegar até aqui um pouquinho só diferente...
Tua família não vai ser a mais perfeita, mas vai ser sempre tua. Abraça e beija as tuas avós, diz pros teus pais que tu ama eles, acredita sempre que os teus irmãos são os teus melhores amigos. E sempre que tua mãe disser "depois não diz que eu não te avisei", dá ouvidos a ela.
Sorri praquele menino que te chama de "fofura" na Kombi, serão poucos os homens de valor que vão cruzar o teu caminho.
Leva as coisas até o fim. Não abandona as aulas de piano, de ginástica ritmica, de tênis, de desenho, de equitação. Nem mesmo as de inglês, italiano, francês e espanhol. E muito menos a Faculdade de Artes Plásticas. Quando estiver no colégio e também depois, na faculdade, presta atenção até mesmo naquela aula mais chata. Mais tarde tu vais sentir falta delas e isto não vai te impedir de brincar de polícia e ladrão no colégio nem de jogar sinuca na faculdade.
Não demora tanto pra começar a conhecer esse mundão, viaja sempre que puder, vai para todos os lugares que conseguir, desbrava cada canto de cada cidade, sente cada cheiro de cada caminho, grava cada um dos rostos de cada pessoa. Ah. E se um dia pensares em fazer algum curso no exterior, guarda o dobro do dinheiro que julgarias necessário; se tudo der errado, vais ter como consertar.
Usa sempre óculos escuros, não franze a testa, não deixa tua mãe te convencer a cortar o cabelo curtinho e com franja então nem pensar! E especialmente uma coisa: quando te chamarem de magricela em vez de chorar, solta uma gargalhada bem alta.
Confia em ti, acredita que tu é capaz, não perde nunca a coragem. E que inveja e ciúmes sejam sentimentos que passem despercebidos pela tua vida. Chora, grita, esbraveja, mas saiba a hora certa de fazer isso e também a hora de parar. Torço que tu sorria muito mais do que chore, ou melhor que tu gargalhe tanto que te faça chorar. Ah, mas quer saber? Quando precisar chorar chora, sente, mas não a ponto de doer. Escuta mais do que fala, mas quando falar, faz com que os outros te escutem. Dança, canta, brinca, pula, te solta, não te envergonha, não te intimida, não te esconde, não tenha tanto medo de tanta coisa. Não complica o que é simples e sempre que possível simplifica o que parece complicado.
Um dia, depois de pegar muitas Kombis, cair muitos tombos, engordar alguns quilos e tomar muitos porres, tu vais aprender o significado da palavra clichê e vais achar que eu te disse vários deles nesta carta. Mas talvez neste mesmo dia tu já saiba que a vida é mesmo um grande clichê. E encerrando com mais um deles te digo: ela é uma só, aproveita.



terça-feira, 13 de dezembro de 2011

No meio do caminho tinha uma pedra

E aquele que tropeça, sempre olha para trás para encarar o chão com fúria em busca de uma causa para o tropeço que não a sua própria panaquice.

domingo, 11 de dezembro de 2011

Y que sea lo que sea

E de que adiantou tatuar assim a pele se esqueceste de tatuar também a mente, a alma e o coração?

sábado, 10 de dezembro de 2011

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Bom senso

Palmas para o bom senso da empresa de cartão de crédito que envia um DOC de cobrança no valor de R$0,32. Tão mais bonito um e-mail dizendo: "depois de tudo que você gastou este ano, Kelen, está na hora de ganhar um presente: sua fatura de dezembro ficará por nossa conta!"